love-1731755_1280

Sexualidade em tempo de pandemia: on ou off?

Veja o que pode fazer.

Sabemos que a Covid-19 não é considerada uma infeção sexualmente transmissível. Contudo a situação de confinamento pode afetar as nossas relações de intimidade, o desejo e a sexualidade, afetando a nossa saúde física e psicológica.

Vera Carnapete, psicóloga clínica e terapeuta sexual, diz: “Há receitas que envolvem ingredientes explosivos: 

vírus novo à solta + isolamento obrigatório + medo + teletrabalho + telescola + tarefas domésticas, tudo bem envolvido = possível caos conjugal!”

A vivencia da pandemia eventualmente não será muito afrodisíaca, diria mesmo que poderá ser um ingrediente anti erótico. Realço, porém, que tudo dependerá da forma como as pessoas/casais olham para toda esta situação. Depende muito da qualidade da esfera privada do casal. Casais que têm uma boa intimidade poderão olhar para esta situação como algo desafiante, poderá ser uma ótima oportunidade de fortalecer a relação, mas se a esfera privada não for satisfatória irão olhar como algo penoso e obrigatório e a relação poderá sair prejudicada e em alguns casos poderá levar à rutura. 

Segundo Vera Carnapete, é importante reconhecer novamente que não vai ser fácil e tomar consciência de que as condições a que estamos sujeitos poderão ser geradoras de tensões e conflitos. Ao tomarmos essa consciência poderá ser um excelente ponto de partida para utilizarmos estratégias que ajudarão a cuidar e a reinventar a nossa intimidade e sexualidade.

O que podemos fazer:

– Respeitar as necessidades de cada pessoa (ex: ao nível do teletrabalho, perceber que o meu trabalho não é mais importante que o trabalho do meu/minha companheiro/a. Devemos dividir as responsabilidades parentais/domésticas de forma igual;

– Acumulação de tarefas no mesmo espaço é desgastante e o desejo sexual é uma das primeiras coisas a ser afetada. Devemos definir espaços e ou momentos para estar sozinha/o, separados um do outro;

– Explorar a sexualidade de diferentes formas, tais como, inventar jogos e surpresas como deixar bilhetes mais sensuais espalhados pela casa para entusiasmar o seu/a parceiro/a;

– Procurar o envolvimento sexual, mesmo que haja pouco desejo sexual. A atividade sexual tem vários benefícios tais como aliviar a tensão do casal;

– Conhecer melhor o meu corpo através de novas formas de ter prazer (sozinho ou acompanhado);

– Conversar de forma clara sobre os meus sentimentos acerca da minha sexualidade. Sobre as minhas necessidades, desagrados e medos, procurando soluções em conjunto.

A sexualidade tem um papel fundamental no nosso bem-estar físico e psicológico, e é possível desfrutar de uma sexualidade saudável em tempo de pandemia.

Deixamos-lhe informação útil, caso queira ler e saber mais sobre o assunto:

https://www.ordemdospsicologos.pt/ficheiros/documentos/documento_sexualidade_covid19.pdf

https://www.facebook.com/watch/?v=3516900818395925

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Subscreva

Deixe os seus contactos para lhe enviarmos um resumo semanal das novas publicações para o seu email