72385464_10157342771953801_6839634396954230784_o

Projetos na área da Violência

Conheça alguns projetos em contexto escolar.

Temos revisitado nos últimos artigos alguns filmes, séries, campanhas e músicas que abordam, de diferentes formas, a temática da violência e nos mantêm mais despertos para este assunto.

Agora, com o início do ano letivo a chegar, num ano recheado de mudanças como este, partilhamos aqui alguns projetos na área da prevenção da violência em contexto escolar, que podem servir como referência para implementação em contextos educativos:

  • Plano de Prevenção e Combate ao Bullying e ao Ciberbullying nas escolas. Este plano tem associada a campanha “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência”, implementado desde 2019/2020. Este programa deve desenvolver-se a partir de um diagnóstico que permita identificar necessidades; incluir um plano de ação em torno de estratégias e de atividades que sensibilizem para a diversidade de comportamentos agressivos, em idade escolar; contribuir para a identificação de sinais de alerta, que indiciem o envolvimento em comportamentos de bullying e/ou de ciberbullying; constituir-se como um auxiliar de apoio às escolas, com vista à utilização de diferentes abordagens de prevenção e intervenção, face ao bullying e ao ciberbullying; e ser elaborado de modo a incentivar, reconhecer e divulgar práticas de referência. 
  • Programas de promoção de competências sócio-emocionais (comummente chamadas de SEL – Aprendizagens Social e Emocional). Ainda que a generalidade destes programas se tenham focado preferencialmente na prevenção dos comportamentos de bullying e de violência nas escolas, conseguimos ver o seu alcance na prevenção de tantas outras problemáticas de saúde (numa perspetiva biopsicossocial), pelo que a sua eficácia, face à prevenção de comportamentos de ciberbullying, é de igual forma espectável.
  • Centro de Sensibilização SeguraNet. Aqui encontramos diversos recursos e iniciativas dirigidos aos diferentes agentes educativos (alunos, pais, professores), em vários ciclos de ensino: Lideres digitais; Concurso “Desafios SeguraNet” (categorias 2.º e 3.º Ciclos e categoria 1.º Ciclo); MOOC “Bullying e Ciberbullying: Prevenir & Agir; Selo de Segurança Digital; Selo de Escola saudável.
  • Enable (European Network Against Bullying in Learning and Leisure Environments). No âmbito deste projeto, foram desenvolvidos recursos com o intuito de sensibilizar, apoiar e capacitar a comunidade educativa em geral no que concerne ao bullying e também ao ciberbullying. Financiado pela UE e coordenado pela European Schoolnet, do qual a Direção-Geral da Educação (DGE) é parceira, este projeto tem como principal objetivo combater o bullying e contribuir para o bem-estar dos jovens (entre os 11 e os 14 anos), através do desenvolvimento de competências sociais e emocionais. Consulte a tradução Portuguesa do Guia Enable que reúne e disponibiliza diversos recursos pertinentes, bem como atividades construtivas e fáceis de implementar, em contexto de sala de aula. 
  • Projeto Ser plus – Sensibilizar e Educar para os relacionamentos. Prevenir a violência interpessoal, através da implementação do Programa Hora de SER (um programa de prevenção estruturado e com evidência de impacto desenvolvido pela APAV) junto de crianças entre 6 e os 10 anos de idade.

A nível local existem outros projetos na área da prevenção da violência em contexto escolar, nomeadamente o Projeto MUDARTE, já anteriormente aqui mencionado, na área da Prevenção, onde  a Associação Helpo, em conjunto com uma rede de parceiros (Associação da BASE AO TOPO, Agrupamento de Escolas de Alvide e Clube Gaivotas da Torre – Associação Juvenil) e com o apoio do programa Cidadãos [email protected], financiado pela Islândia, Liechtenstein e Noruega, gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian em consórcio com a Fundação Bissaya Barreto, trabalha na prevenção da violência em contexto escolar. Trata-se de um programa que visa, através da ferramenta do Teatro do Oprimido, capacitar alunos do 7º ano de escolas do município de Cascais, na identificação de situações de opressão e na intervenção de forma assertiva perante as mesmas. O projeto funciona no âmbito do plano de autonomia de flexibilização curricular das escolas, ocupando um tempo letivo que trabalha a educação para a cidadania.

Ainda localmente, existe o projeto “Saibreiras: Pintar o Futuro”, implementado pela Associação Helpo desde outubro de 2019, em parceria com a Vallis Habita E.M., a Associação Ermesinde Cidade Aberta e a Junta de Freguesia de Ermesinde, que tem como objetivo, através de diferentes expressões artísticas, prevenir e reduzir comportamentos de risco em crianças e jovens do Empreendimento de Habitação Social das Saibreiras – Ermesinde.

Fontes:

https://www.seguranet.pt/index.php/pt

https://lms.nau.edu.pt/assets/courseware/v1/6891e21d73b2194f94cee3886181e7af/asset-v1:[email protected]+block/Cyberbullying_booklet.pdf

https://apav.pt/publiproj/index.php/98-projeto-ser-plus

Nota: a fotografia do artigo data de outubro de 2019.

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Subscreva

Deixe os seus contactos para lhe enviarmos um resumo semanal das novas publicações para o seu email